sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Podas assassinas


Fotos: Toninho Teixeira

As justificativas que ouvi foram que uma pessoa morreu, acho que foi em BH, porque caiu uma árvore na cabeça dela. Aí foi cair um galho justo em cima de um carro, em frente ao teatro da Fiemg.
Juntaram os dois fatos com a idade das árvores da praça Frei Eugenio e ... pronto! Estava definida a poda drástica e fora de época das dez Sete-copas centenárias. Ficou um calor infernal naquela rua.
Quem ordenou e quem concordou devia passar por lá todos os dias... para ir se acostumando com as temperaturas que enfrentarão após a morte... Não seria o caso de se retirar os carros e não as árvores, que já estavam lá primeiro? Para pensar: a quem interessa transformar o mundo em uma frigideira? E você, está de que lado?

Antonio Teixeira

8 comentários:

Anônimo disse...

Sr Antonio Teixeira , passo todos os dias neste local e fiquei indignado posso escrever que nossa Secretaria de Meio ambiente é de fato um repartição publica de incompetentes Nosso Ministerio Publico de Meio ambiente alem de ser incompetente é OMISSO , Mas faço um acordo com o senhor vamos com suas fotos entrar com um processo CRIME AMBIENTAL contra a PREFEITURA DE UBERABA neste País ainda existem leis ambientais que protegem este PATRIMIONIO pois volto a escrever estas arvores é um patrimonio de Uberaba MERECE MAIS RESPEITO ! Veja o que aconteceu na frente da ESCOLA MINAS GERAIS retiraram todas as arvores para fazer um patio de estacionamento isto é um absurdo ! Agora os comerciantes do local estão reclamando do calor exorbitante. Gente precisamos de praças , precisamos arborizar nossas arvores tem varias utilidades como reduzir o impacto dos ventos , alimentar o que resta de nossa aves silvestres e reduzir o calor no centro urbano este Secretario de Infraestrutura da Prefeitura é um incompetente podemos sim adequar estas arvores com o crescimento da Cidade isto sim se chama INTELIGENCIA , mas vejo que estes incompetentes da Prefeitura só sabe fazer isto PODA RADICAL ou a retirada total das arvores como aconteceu na Escola Minas Gerais temos SIM QUE PROCESSAR ESTA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA POR INCOMPETENCIA (CRIME AMBIENTAL )
Vamos parar de bla bla bla e vamos colocar em pratica as leis ambientais . Conte comigo para PROCESSAR ESTES INCOMPETENTES !!!

Celso Provenzano

rmhar disse...

Ainda não aprendemos a conviver bem com as árvores urbanas!
Para começar, as árvores são mais do que necessárias devido ao microclima amenizado. Isto é indiscutível! Sentimos bem a diferença ao caminharmos debaixo de árvores e sem elas, sob o Sol. Outra coisa é a escolha das espécies. Árvores médias e mais firmes são mais apropriadas para as calçadas, principalmente se não foi feito um planejamento paisagístico no passado. Agora, ao plantar deve-se respeitar um mínimo de espaço no canteiro para que a água pluvial infiltre. Se não se respeita este mínimo (ver as fotos), as raízes começam a subir mais à superfície e trincam a calçada e, começam a dificultar o fluxo dos pedrestres. Em algumas cidades são colocadas grades sobre o canteiro, possibilitando a infiltração e o caminhar.
É verdade que os ventos, a idade e a instabilidade das raízes podem prejudicar a saúde da árvore e provocar uma queda, seja de galhos ou mesmo o tronco. Para isso o órgão competente deve avaliar a necessidade da poda ou da troca da árvore. Mas, podas radicais são um sintoma de grande insentatez... Teria outro meio? Quem sabe uma desbastada seria suficiente? Retirar apenas os galhos mortos, avaliar o estado geral do tronco. É preciso revisar os canteiros, orientar a população, os funcionários da varrição, o pessoal do setor de obras, e providenciar uma reforma visando o bem estar das árvores, dos pássaros, dos outros animais que necessitam das árvores e dos cidadãos! Bom posicionamento seu e do Toninho. Parabéns!


Mara Maciel

Israel Garcêz disse...

Infelizmente vivemos em uma Cidade que é comandada por um DITADOR, mas não podemos deixar de lutar contra essas barbaridades que vemos todos os dias. Espero que um dia o POVO de Uberaba aprenda a votar e cobrar os seus Direitos (Exercer a Cidadania).

Israel Garcêz

Adriano Espíndola Cavalheiro disse...

Caca e demais,

Um verdadeiro absurdo o que restou feito com as centenárias sete copas da Frei Eugênio. O pior de tudo é que foi feito pela própria Prefeitura, certamente com o aval da Secretaria de Meio Ambiente que deveria cuidar para que isso não acontecesse.

É fato, árvores antigas demandam atenção, podem causar acidentes e mortes. Entretanto, atenção não significa, de modo algum, a mutilação promovida pela Prefeitura de Uberaba, que além de colocar em risco a vida das referidas árvores, certamente causou um desiquilibrio ambiental na região daquela praça. Quanto espécie de passáros e outros animais não ficaram sem abrigo e alimentos? E a sombra que nos furtaram com esse ato desmedido? Não esqueçam, amigos, que este não foi o primeiro ataque promovido pelo governo Anderson Adauto à vegetação da Praça Frei Eugênio. Faz pouco meses que várias outras árvores, do outro lado da praça, foram arrancadas para dar local a um estacionamento de 45º. Creio que existiriam outras medidas, que poderia evitar a poda amputante praticada, como por exemplo um levantamento de eventuais galhos podres (com poda do mesmo), escoramento de galho e das arvores, instalação de redes de segurança e um longo etc. O que vejo é que nossa municipalidade trata as arvores antigas da mesma forma que se trata os idosos no Brasil, com com uma total indiferença desrepeitosa. Basta ver o que ganham nossos velhinhos do INSS.

Adriano Espíndola Cavalheiro disse...

Há, para além de dizer que esse ou aquele é incompetente, prefiro, mais uma vez, sugerir aos ambientalistas de Uberaba que organizemos uma associação, para que possamos, nós mesmos interpelar judicialmente os (is)responsáveis por desvastação ambiental como essa.

Adriano Espíndola
visitem meu blog http://defesadotrabalhador.blogspot.com/

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Cacá, o verde não paga IPVA...
O verde não consta das notas de produção do imposto arrecadado...lutemos...
Pois, o planeta agoniza com estes crimes e a Mãe Gaia não cobra impostos, mas já não semostra disposta a conceder um tempo ilimitado para que o homem decida entre a vida e a morte.
O paneta agoniza...
Esperaremos o fim...
Abraços, Jorge

Anônimo disse...

Há pouquíssimo tempo resgatei um passarinho que tinha ficado preso dentro do casarão do SESI e que estava se debatendo na vidraça.Depois de muita busca e com a ajuda do guarda consegui colocá-lo de volta com a mãe...Onde ele estará agora?
Onde estarão todos que faziam daquelas árvores seu paraíso particular, e que juntamente com essas "senhoras" cheias de energia e harmonia, nos brindavam com um pouco de vida pura e alegre num mundo cada vez mais contaminado pelo desamor...Meu coração está cansado de tanta tribulação.Mas não desisto de amar, e apesar de não acreditar mais em uma mudança significativa por meios politicos, rezo para que os outros reinos se libertem logo do jugo que o ser "humano" lhes impôs desde o início desta malfadada aventura que vivemos neste planeta.Mas ao que tudo indica esta inconsequente e inconsciente aventura está prestes a se encerrar...

Cassia Magaly

Anônimo disse...

Ridiculo vc, sete arvores podadas pelo bem do progresso animal, se vc é tão naturalista pega sua cadeira de rodas e vai pra amazonas então

Charge do Toninho

Charge do Toninho

"AQUILO QUE NÃO PODES CONSERVAR NÃO TE PERTENCE"

Excelente frase divulgada na coluna FALANDO SÉRIO de Wellington Ramos do JM. Espero que muitos ruralistas e políticos a tenham lido.